Pages

domingo, 11 de abril de 2010

- Imagina uma casinha.
- Imaginei.
- No alto de uma colina.
- Tipo a do casal d'A Nova Onda do Imperador?
- Não. Aquilo não é uma casa.
- É sim...
- Aquilo é um chalé.

- Então é pra imaginar um chalé?
- Não! Esquece a casa do Patcha, ou seja lá o nome dele.
- Tá.
- Imagina uma casa no campo, é.

- Daquelas bem grandes ou pequenas?
- O que você gosta mais?
- Pequena. Grande dá muito trabalho pra limpar.
- Não pensa nisso. Você não precisa limpar ela.

- E quem vai limpar? Porque a casa suja, sabe. Poeira, comida, se tiver cachorros então...
- Jullie, pára! Não tem isso. A casa é imaginária! Ela... Se limpa sozinha.
- Tá, tá. Ok, grande.

- Ok, imagina agora alguns cachorros correndo pelo gramado.

- Alá, tem cachorros, vai sujar.
- Jullie...

- Desculpa...

- Agora imagina duas criancinhas brincando no parquinho á direita.

- Peraí. Qual o tamanho das crianças? E a raça dos cachorros?
- Sei lá. As crianças tem entre dois e três anos...

- E os cachorros? Poodles, pitbull, pintcher...

- Acho que dois collies.
- Ok, então é melhor prender os cachorros.

- Porque?
- Tem crianças pequenas, Oliver! Se o cachorro pular neles, faz estrago.

- Jullie, você tá estragando a brincadeira!

- Desculpa, eu só estou vendo as possibilidades!
- Você se preocupa demais, sabia?
- Eu gosto de tudo certo, po! Sou perfeccionista.
- E é perfeita.

- Own, que fofo *-*
- Te amo, Juh.
- Te amo, Oli.

- Vamos voltar a casinha?
- Vamos.

- Ok, imagina então...
- Piscina?
- Isso, uma piscina e uma festa de arromba.
- Mas se tá tendo festa, quem tá cuidando das crianças? E dos cachorros? QUE BADERNA OLIVER!

- Desisto ._.

1 comentários:

thais disse...

ameei demais, e ri mto. é tipo, perfeito *-*

Postar um comentário